8
abr

BPW Brasil aborda empreendedorismo social no workshop do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios

A primeira vice presidente da BPW Brasil e coordenadora da Comissão de Responsabilidade Social da BPW Cuiabá,  Sueli Batista, consultora com MBA em Terceiro Setor e Políticas Públicas, proferiu a palestra Mulher e Empreendedorismo Social, no workshop  que antecedeu a entrega da etapa nacional do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, dia 8 de abril em Brasília.

Sueli conduziu sua palestra de forma interativa, levando o público a participar em diversos momentos, abrindo com o questionamento: “O que é um mundo mais belo prá você?”.
Conforme a palestrante, há diversas formas de ver o mundo, e que um novo olhar está direcionado de forma mais global ao desenvolvimento sustentável. Ela falou sobre Responsabilidade Socioambiental, destacando a construção do tema e o estágio atual. Citou como avanço o Triple Boton Line, o tripé da sustentabilidade, que contempla num mesmo processo pessoas, planeta e lucro.

“Nas adoções de boas práticas, incluídas no processo da governança corporativa, muitas empresas estão trabalhando focada no tripé da sustentabilidade, principalmente na Europa e Estados Unidos. No Brasil passos importantes também já são dados por empresas cidadãs”, disse Sueli, lembrando que muitos empreendimentos estão computando positivamente ações em seus balanços sociais.  Ela disse que a construção coletiva em torno do tema responsabilidade socioambiental tem sido de grande relevância para o despertar da consciência coletiva, em torno do tema,  bem como para que a sociedade tenha um novo olhar neste sentido.

Especificamente em relação ao empreendedorismo social, Sueli informou que há  três formas de atuação, via voluntariado, profissão e como negócio. Segundo ela há chaves para o sucesso neste campo, sendo que considera como as principais: inovação, articulação, captação de recursos e gerenciamento.

A palestrante disse que é comum pessoas engajadas ao espírito do empreendedorismo social, enxergarem de no lugar problemas,  as soluções para tais problemas, e que medem os resultados de suas ações, através de impactos positivos na localidade em que atuam e que efetivamente contribuem para a construção de um mundo mais igual e solidário.

O mercado, na avaliação da primeira vice-presidente da BPW Brasil, está precisando de empreendedores sociais, de ambos os sexos. Ela aponta, entretanto, que a mulhe por seu perfil, tem se destacado mais neste campo. Dentre outras qualidades é visível nas pessoas que se dedicam a esta áreas, o arrojo para agir sem se limitar pelos recursos disponíveis; criatividade nas iniciativas que geram valor social, capacidade para superar obstáculos; objetivos comuns maiores que os individuais.

“São qualidades que levam também ao compartilhamento de resultados e trocas de experiências”, disse a palestrante, mostrando alguns cases referente a ações de empreendedores sociais que tem modificado a vida comunitária em diversas partes do país. Ela finalizou mostrando o quanto pessoas dentro deste campo de atuação ficam mais fortes ao atuarem em rede, como se fossem diamantes lapidados.

suelipalestrasebrae2_690850765.jpg

suelipalestrasebrae3_975582596.jpg